Coleção Rainha Urbana

A coleção rainha urbana vem pra dar um up na sua rotina, tirar você da mesmice, convidar a usar, ousar, ostentar, experimentar algo novo, exclusivo e glamouroso. 
Ocupe seu trono, veste a coroa e vai atrás dos seus objetivos. 
Mude, decore, troque, recicle-se. 
Você pode mais!

colecao-rainha-urbana-1

Arrasa! Vai pra rua, ocupe escritórios, metrôs, aeroportos e shopping centers. 
Não aceite um amor meia boca, que seja inteiro, e nada menos do que você merece!

colecao-rainha-urbana-2
colecao-rainha-urbana-3

As mulheres estão cada vez mais presentes na vida moderna, sendo múltiplas, e ao mesmo tempo únicas na sua importância como genitora, gestora, doutora, vossa majestade! Num mundo com tanta informação, nada mais moderno que autenticidade!

colecao-rainha-urbana-4
colecao-rainha-urbana-5

Você usa acessórios para se sentir bem, melhorar sua auto-estima e se sentir linda. Não para consumir por consumir, mas porque você merece ser linda. Gaste com moda, não com remédios. Pilote a carruagem da sua vida, coloque seus sapatinhos mágicos e seja quem você quiser.

colecao-rainha-urbana-8
colecao-rainha-urbana-9

A coleção vem inspirada em cidades cosmopolitas, que misturam o glamour com os elementos urbanos. Como Londres por exemplo. Locais de trabalho, de reuniões, competitivos onde a atitude faz a diferença. A atitude de ser, de ocupar. 
Elementos como coroas, brasões tem esse poder desde a antiguidade, de definir um posicionamento, um clã , uma autoridade, um “certificado de origem” . Vem para a coleção com essa referência.

colecao-rainha-urbana-10
colecao-rainha-urbana-11

Materiais nobres com brilhos, veludos, nobuc, xadrezes como o pied de poule e o príncipe de Gales. Verniz, metalizados e tecidos nobres. Do street , materiais estonados que imitam aço, como a lona metalizada Stone. O jeans e camurças.

colecao-rainha-urbana-12
colecao-rainha-urbana-13
colecao-rainha-urbana-14

Metais e fivelas nobres com brilhos e arabescos mixados com elementos urbanos como as patchs e bordados. Taxas, estampa onça e coturnos com saltos tratorados da cultura Punk de protesto street e underground . Frases, como se fossem placas de atenção ao amor e proteção. As Frases Inglesas como All we need is Love dos Beatles e God save the Queen do Hino Inglês.

colecao-rainha-urbana-15
colecao-rainha-urbana-16

Simbologia das patchs: 

Brasão: All we need is Love. Todos precisamos de amor ! Que as pessoas vêem primeiro o amor , que cultivem o amor próprio , mas também o amor ao próximo. Que nossas mulheres sejam amadas e respeitadas. 
Brasão: God Save the Queen: Deus salve nossas rainhas, proteja nossas mulheres na sua luta a favor da igualdade. Coração: amor sentido da vida. 
Flores de paetê : Nobreza e delicadeza. Coroa: Soberania e nobreza, como emblema de vitória 
Estrela: Poder, que tem luz própria, que reluz, que brilha. 
Beijo: sinônimo de carinho e amor. 
Estampa do tecido: All we need is Love and shoes, and bags , jewerly, lipstick and wifi. Mistura um sentimento primitivo, nobre, essencial com as armas modernas que a mulher urbana necessita para a luta nobre de cada dia da era contemporânea.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

MAIS INFORMAÇÕES

Esta imagem é referente a matéria Um Toque de Amor do nosso blog

Um Toque de Amor

      A Lolita Pimenta tem o propósito, enquanto marca, promover e elevar a autoestima feminina não só pela mágica de calçar um sonho - quando veste um sapato, bolsa ou acessório novo - mas também, que se sinta feliz em todos os momentos ao estar em contato com a gente. Seja pelo excelente atendimento, um bom dia com amor, o carinho na fabricação de suas Lolitas, nos mimos ou mesmo em um conselho de como montar e combinar os looks.       Não poderíamos deixar passar o “Outubro Rosa” sem falarmos sobre o assunto, que ainda causa medo e preocupação entre nós mulheres.       Como criadora da marca, por pensar nas mulheres e ter passado pela experiência com o câncer de mama, me tornei mais forte. E quero passar um pouco da experiência e contribuir, de alguma forma motivadora com as mulheres.            Sempre fiz os exames indicados anualmente, por causa do histórico familiar de mãe e tia. Mesmo sempre dando o mesmo resultado: negativo para células malignas.       Gente, façam os exames regularmente . As propagandas sugerem que se faça o exame de toque, mas não é o suficiente, não esperem até sentir alguma coisa. Exames como mamografia e ecografias mostram em estágios bem iniciais, o que facilita muito o tratamento.      Vou contar brevemente pra vocês. Em 2014 , ao contrário de resultados de ecografia de outros anos, na véspera do meu aniversário de 40 anos recebi o diagnóstico “carcinoma ductal in situ”. Até conversar com um médico e saber os próximos passos, gravidade e tratamento, muitos pensamentos ruins passam pela cabeça. É preciso calma e contar com o apoio de familiares e amigos para seguir .    Felizmente, no meu caso a doença estava em estágio super inicial, fiz uma cirurgia , mas ainda ficaram margens e optei pela mastectomia bilateral, apesar do carcinoma ter ocorrido em apenas uma mama. Com isso não precisei de tratamentos posteriores como quimioterapia e radioterapia. Apenas reconstrução, que ainda assim requer um tratamento longo e repouso devido a complexidade da cirurgia. É preciso paciência, muita paciência e bom humor. Esse estado de espírito é essencial para que você tenha êxito e vença a batalha.      Depois que tudo passou encaminhei o exame para estudo dos Genes Brca1 e Brca2 para verificar alguma herança genética. E ao contrário da teoria dos médicos, meu caso não foi hereditário.      Por isso Mulheres, façam os exames anuais, mesmo que não tenha passado dos 40 anos ou não tenha casos na família.      É muito importante. Sem neuras, um exame anual atende bem e vai deixar você mais tranquila. Converse com seu médico, cada caso é um caso. Mas vamos nos cuidar.      A gente merece esse tempo pra se cuidar, nunca deixe para depois. Beijos meninas! Sandra Stein Designer empreendedora Lolita Pimenta
Esta imagem é referente a matéria Future Is do nosso blog

Future Is

A expectativa e a ansiedade por um futuro desconhecido dá vida a nossa cápsula questionadora FUTURE IS ____________? Diante de tantas mudanças previstas, como nós mulheres nos portaremos e nos transportaremos para esse novo mundo? Qual o ambiente que nos espera. Em que atmosfera construiremos nossos sonhos? Buscamos no passado várias referências ao prelúdio, às aspirações do futuro na moda e com isso aquele pezinho que temos no retrô, ainda fica presente. Seja lembrando Barbarela ou na discoteca nos loucos anos 80. Quando se fala em futuro lembramos de metal, transparências, minimalismo, robôs, conectividade, elos, laços, amor... O que será do amor?Quando se fala em futuro, lembramos de tecnologia, industrialização, evolução, construção, descartes... O que será de nosso planeta?Quando se fala em futuro se fala na quarta revolução industrial, tele-transporte, carros voadores, realidade aumentada, energia limpa, pílulas de comida, como nos alimentaremos, como nos exercitaremos, como será nossa saúde?Diante de tantas perguntas, o que podemos começar já para ter um futuro melhor? Já que o futuro se diz feminino.... O futuro é olhar diferente, sob outro ângulo. É ter atitude diferente do passado. É se acostumar com as diferenças, conviver com a diversidade. É aceitar o desconhecido, conhecer e se ajustar. Usamos na coleção várias destas referências como inspiração. Nos materiais metalizados espelhados, como o ouro e o prata. A transparência dos vinis e efeitos holográficos. O conforto da lycra, coloridos, plástico no material laminado verniz, glitter, paetês.Usamos argolas, elos e detalhes esportivos, laços e tachas de metal. Também fizemos uma sandália que tem enfeites de lacre de latinha.
Esta imagem é referente a matéria Lugar de Mulher é onde ela quiser do nosso blog

Lugar de Mulher é onde ela quiser

"De mulher para o mundo, afinal, nós fazemos ele rodar! Não nos damos conta, por séculos e séculos, de que por nós é gerada a vida, de nós é tirado o alimento, e para nós que a natureza trabalha.Criamos filhos, deixamo-os fortes, educamos-os para o mundo e a sociedade, e com a história nos tornamos reféns. Houve um tempo que mulher era somente geradora de vida, servia para o prazer, para o trabalho da casa e ainda responsável por aumentar a mão de obra barata da família, ou seja, aumentando o número de filhos, assim ganhavam-se terras, construíram-se casas e estradas, e com essas mesmas mãos dos filhos algumas apanhavam e construíam ao longo da vida histórias tristes em contos de livros, regados de amor que só existiam nos sonhos e também de sonhos que nunca iam ser realizados.Cozinha sempre foi lugar de mulher. Mulher cozinheira, homem chef. Grandes clássicos da gastronomia levam nomes masculinos, Reis e rainhas sempre tiveram chefs homens para seus banquetes, mesmo que fossem pelas mãos de mulheres que tudo era entregue em perfeito estado para o gozar da realeza.Hoje, mulher luta ainda para reverter essa situação em que homem está acima e à frente, mas a luta ainda está longe, afinal nós geramos e educamos esses homens, e se não em casa, na rua, será o reflexo da educação masculina e machista de nossas crias. Podemos ser o que quisermos e estar onde desejarmos, basta que isso esteja quente em nossa cabeça como o sangue que corre dentro de nós todos os dias, nos colocando em posição que merecemos.Colaborado pela opressão dessas mãos sofridas ao longo dos séculos em cozinhas, alimentando sem serem vistas, houve o abandono por parte da mulher a profissão e ato mais lindo que podemos ser e fazer, e o lugar mais quente e acolhedor da casa: a cozinha. Novamente o homem tomou o lugar da mulher que saiu para a rua lutar, e a profissão, antes vista com desdém, hoje é motivo de orgulho e uma das profissões que mais cresce no mundo: a gastronomia. Os chefs reapareceram, e a mulher que outrora abandonou a cozinha pelo computador e escritório, hoje reavivou seu posto de única geradora de vida, de mãe, de cozinheira. A paixão pela cozinha está a flor de muita pele por aí, antes o abandono da cozinha era um ato de revolução e de protesto contra a visão machista de que tínhamos que esquentar a barriga no fogão e esfriar na pia, hoje, a revolução está justamente em mostrar que podemos estar onde e quando quisermos, com beleza e agressividade, entendendo que somos nós, como no início de tudo, as únicas geradoras de vida, e é através do novo prazer que levamos isso adiante, sem medo de proporcionar felicidade e prazer aqueles que se alimentam da nossa criação. Estar na cozinha é um ato revolucionário. Estar na cozinha, ou na mecânica, ou dirigindo transporte público, ou o que quisermos, pois nós podemos tudo. Nós podemos realizar nossos desejos hoje sem pudor e medo.Independente de onde a mulher está ou deseja estar, a maior revelação de poder é o ato de realizar tudo por prazer e amor sem nos levarmos apenas por status de profissão ou em âmbito social.Você quer? Você pode. Você não quer? Você pode não querer. Você mulher é a que pode tudo e, sim, libertar-se para realizar seus desejos a hora que bem entender, ser cozinheira ou chef de cozinha ou somente largar tudo para ser dona de casa, não interessa o quê, apenas seja aquela que goza das boas escolhas levando em consideração apenas o seu bem estar e daqueles que estão contigo nessa jornada. Eu larguei tudo, sou completa, viajo em todas as áreas que sempre quis trabalhar e estar em varias cozinhas desse país mostrando meu amor e talento é a coisa mais gratificante e revolucionária que posso fazer por mim e para mim. “Nossa campanha foi inspirada em mulheres fortes e como homenageada recebemos esse texto lindo e cheio de inspirações de Taise Spolti - Mulher, Mãe, Esposa, ex Participante do Master Chef Brasil, Consultora Fitness & Chef Funcional, Mkt Influencer, Colunista - que ama estar na cozinha como escolha.